compartilhar

GREVE DOS RODOVIÁRIOS: Paralisação dos ônibus é contra o povo, mas a CUT apoia

A greve dos rodoviários, apoiada pela CUT, é um movimento contra o povo e, especialmente, contra a população mais pobre. Nada tem a ver com valorização da categoria ou melhoria dos serviços.

*Por:Hélio Doyle

A Central Única dos Trabalhadores (CUT) divulgou nota para dar seu apoio à absurda paralisação dos rodoviários que reivindicam aumento salarial de 10%.

 

Ao apoiar uma greve que prejudica a população e sobretudo os que precisam de ônibus para se locomover, a CUT mostra a deformação que assola boa parcela da esquerda: o respaldo a reivindicações corporativistas de uma “aristocracia operária” representada por “sindicatos economicistas” (termos usados por Lênin) em detrimento dos interesses dos trabalhadores e dos marginalizados.

 

Os rodoviários se aproveitam da conivência das empresas concessionárias e da falta de ação do governo para fazer sua chantagem, que nada tem a ver com o legítimo direito de greve.

 

Para obter um irreal aumento real de 10% em tempos de crise brava, além dos 4% que já conseguiram para compensar a inflação, os rodoviários paralisaram o transporte urbano sem aviso prévio, prejudicando diretamente milhares de pessoas e, indiretamente, quase todos os brasilienses.

 

Um aumento nos salários dos rodoviários — que já têm as mais altas remunerações do país — significa ou aumentar os subsídios do governo às empresas ou reajustar as passagens. Ambas as soluções são muito ruins e a população será prejudicada. Os rodoviários serão beneficiados em detrimento do conjunto dos brasilienses.

 

A greve dos rodoviários, apoiada pela CUT, é um movimento contra o povo e, especialmente, contra a população mais pobre. Nada tem a ver com valorização da categoria ou melhoria dos serviços.

 

Fonte: *Hélio Doyle é jornalista e professor universitário

COMENTÁRIOS