compartilhar

SEM CONCILIAÇÃO: Nova reunião entre rodoviários e empresas de ônibus acaba sem acordo

As duas partes se reúnem para negociar no próximo dia 11. Até lá, a categoria garante que não fará paralisações

Acabou mais uma vez sem acordo a reunião entre rodoviários e donos de empresas de ônibus de Brasília.

 

A audiência de conciliação ocorreu nesta segunda-feira (4/9), no Tribunal Regional do Trabalho da 10ª Região (TRT10), e durou quase quatro horas.

 

A categoria assegurou que até a próxima reunião, marcada para o dia 11, não haverá paralisações.

Os rodoviários reivindicam 6,5% de reajuste salarial, com ganho real sobre a inflação, além de aumento para tíquete-alimentação (6%), cesta básica (7%), plano de saúde e plano odontológico (15%).

 

Já as empresas de ônibus alegam não ter condições de arcar com aumento superior ao percentual de reposição da inflação.

No encontro, o Ministério Público do Trabalho (MPT) propôs a readequação de 14% nos planos odontológico e de saúde, 4,5% nos vencimentos, 5% no tíquete-alimentação e 6% na cesta básica.Michael Melo/Metrópoles


 

“Essa proposta não serve para nós e foi rechaçada pelas empresas. Eles propuseram 4,23% linear em todos os itens e com uma variante. Eles queriam alterar a data base de maio para agosto. Nós aceitamos, mas desde que houvesse uma compensação, que seria aumentar os reajustes, e eles não quiseram”, disse João Osório, tesoureiro do Sindicato dos Rodoviários do Distrito Federal.


Greve no forno
Caso não haja acordo na próxima reunião, a greve não está descartada. “Vamos avaliando passo a passo. O impasse vai levar a uma possível greve porque não temos como abrir mão desses benefícios tão importantes para a categoria. Nada está descartado”, completou.

No início de julho, os rodoviários conseguiram 4% de aumento. Os patrões ofereceram reajuste salarial total de 4,2%. “Amanhã terá reunião com as empresas. E não vão topar esse acordo”, explicou o presidente da Associação das Empresas Brasilienses de Transporte Urbano de Passageiro (Abratup), Barbosa Neto.


Na última segunda (28), os rodoviários surpreenderam a população ao paralisar as atividades no início do dia.

Cerca de 850 mil brasilienses ficaram sem ônibus. Os coletivos só voltaram a circular no dia seguinte, por determinação judicial. (Com informações do TRT-10)

 

Fonte: *Via Metropole/Clipping

COMENTÁRIOS