compartilhar

ZOOLÓGICO DE BRASÍLIA: Placas fotovoltaicas ajudam zoo a racionalizar consumo de energia

Equipamentos, doados pelo Ministério de Minas e Energia, vão permitir economia mensal de R$ 6 mil na conta de luz, além de viabilizar o sistema de reúso de água

A Fundação Jardim Zoológico de Brasília recebeu, nesta terça-feira (19), 240 placas fotovoltaicas, 24 inversores e 52 controladores de carga para implementação de projetos de sustentabilidade na instituição.

Os equipamentos foram doados pelo Ministério de Minas e Energia, por meio de edital para repasse de bens do Programa de Desenvolvimento Energético dos Estados e Municípios (Prodeem).


As placas estão avaliadas em R$ 481.962,29 e devem abastecer, entre outras áreas, o sistema de reúso de água por meio de bombas. A instalação deve resultar em uma economia mensal de R$ 6 mil na conta de energia elétrica da instituição.


Os primeiros equipamentos serão colocados no Berçário, ambiente com estrutura já adaptada para este fim. Para os demais espaços, será necessária a montagem de pergolado de madeira (proteção vazada apoiada em colunas).

À medida que cada pergolado ficar pronto, as placas serão instaladas. “São placas nunca usadas e extremamente eficientes”, assegura o diretor-presidente do zoo, Gerson Norberto.


A adoção de sistemas inteligentes de reaproveitamento de recursos tem sido uma preocupação da instituição. “O zoo busca o selo de sustentabilidade”, explica Norberto.

A medida alia diversos interesses. “Conciliamos o caráter ambiental ao econômico”, destaca o secretário de Meio Ambiente, André Lima.


A obtenção das placas, por meio de doação do governo federal, está no contexto do programa Brasília Solar. Elas vieram da unidade de Furnas Centrais Elétricas, em Nova Iguaçu, Rio de Janeiro, por transporte rodoviário contratado pela pasta do Meio Ambiente.

A execução dos projetos básico e executivo do sistema, no zoo, será feita em parceria com a Associação Brasiliense de Energia Solar (Abrasolar).

 

COMENTÁRIOS