compartilhar

ÁGUA DOS CÉUS: Chuvas chegam ainda esta semana, mas ainda é cedo para comemorar

O Distrito Federal completou quatro meses sem chuva, o longo período de estiagem tem afetado diretamente os cinco sistemas produtores que abastecem Distrito Federal e parte do entorno, que são: Descoberto, Torto-Santa Maria, Sobradinho-Planaltina, Brazlândia e São Sebastião.

 

o período de seca, a Companhia de Saneamento Ambiental do Distrito Federal (Caesb) precisou operacionalizar suas rotinas para que a falta d’água não impossibilitasse a distribuição.

 

Desta forma, foram viabilizadas obras para a construção dos subsistemas produtores no Lago Norte, no Bananal e obras suplementares para evitar o desvio e desperdício de água nos sistemas já existentes.

 

Há oito meses o rodízio do racionamento foi adotado como uma solução temporária, mas segundo o presidente da Caesb, Maurício Luduvice, não há data para acabar, uma vez que o nível dos reservatórios não responde imediatamente às primeiras chuvas, leva-se tempo para que o volume de água seja capaz de alcançar níveis considerados seguros. 

Com 120 dias de estiagem, a Grande Brasília está enfrentando o mais severo período de seca desde 2010, quando contabilizou 130 dias sem chuva.

 

O ano recorde foi 1963, quando foram registrados 164 dias sem uma gota cair do céu.

Na primeira quinzena de agosto, a Subsecretaria de Proteção e Defesa Civil declarou estado de emergência no Distrito Federal em razão da seca, isto ocorre quando a umidade relativa do ar chega a menos de 12%, em algumas cidades-satélites foram registrados 9%. Já nos últimos dias do mês, foi decretado estado de alerta, quando os níveis de umidade estão entre 20% e 12%. 


O Instituto Nacional de Meteorologia divulgou previsão para a semana no Distrito Federal com a possibilidade de chuva para hoje (20) e para os próximos dias até sábado (23).

Apesar da previsão com aumento da umidade, os brasilienses ainda não devem comemorar, dado que estas primeiras chuvas não correspondem à chegada da estação chuvosa que está sendo esperada somente para novembro.

Os meses de setembro e outubro são considerados um período de transição, durante este interstício, as escassas precipitações trazem a possibilidade de temporais com descargas elétricas, chuvas fortes e rajadas de vento. 

Breve alívio ainda requer cuidados

Mesmo com as chuvas previstas para esta semana, as altas temperaturas continuam e os cuidados com a saúde devem ser mantidos.

 

Os médicos recomendam que as atividades físicas sejam realizadas fora do período de maior temperatura, a ingestão de água mesmo sem a sensação de sede, cuidar da hidratação da pele com óleos vegetais e hidratantes e usar roupas leves e claras, preferencialmente confeccionadas em algodão. 

Esteja atento aos sinais de desidratação que se não tratados podem ocasionar o agravamento do caso e até o óbito, são: boca, pele e mucosas secas, tonturas e fraquezas, sonolência e cansaço, olhos fundos, prisão de ventre, dor de cabeça, aumento nos batimentos cardíacos e queda na pressão arterial e em casos mais graves desmaios e perda de consciência.

Atenção redobrada no trânsito

Resultado de imagem para chuva no transitoO Departamento de Trânsito do Distrito Federal (Detran) alerta sobre os perigos na condução durante as primeiras chuvas.

 

A água junto ao acumulo de sujeira e óleo no asfalto torna as pistas escorregadias e propícias a acidentes. A recomendação é revisar freios, pneus, limpadores e faróis, a fim de evitar as colisões. 

 

Fonte: *Erika Manhatys/Alô/Clipping

COMENTÁRIOS