compartilhar

2 RODAS NA FRENTE: Eixo Monumental ganha “bolsões” para motos antes de semáforos

Motociclistas terão espaço reservado à frente de veículos quando sinais estiverem fechados. Iniciativa será estendida para Águas Claras

Com a intenção de oferecer mais segurança a motoristas, motociclistas e pedestres, o Departamento de Trânsito do Distrito Federal (Detran), por meio de sua Engenharia de Trânsito, está criando um espaço exclusivo nos cruzamentos de semáforos para que as motos possam aguardar na frente dos outros veículos até a abertura dos sinais.


O projeto, chamado Bolsão de Motos, foi iniciado pelas Vias S1 e N1 no Eixo Monumental.

Nesta quarta (20/9), servidores do órgãos estavam pintando as pistas e colocando sinais. 

ReproduçãoA base do projeto está na Resolução 550/2015 do Contran, que estabelece os critérios para a implantação.

 

A expectativa é de que a nova sinalização nas duas vias comece a funcionar no fim desta semana.


O Eixo Monumental foi adotado como projeto piloto pelo grande volume de motos que circulam nessas vias e o alto índice de acidentes.

Os motociclistas pertencem à categoria de condutores que mais morrem no trânsito de Brasília, perdendo somente para os pedestres.

 

Conforme a proposta de sinalização da Engenharia de Trânsito, o projeto será implantado inicialmente em 33 cruzamentos.Resultado de imagem para bolsão para motos semaforo

 

A fiscalização do Detran também permanecerá no local, com intenção educativa, durante o período de adaptação dos condutores ao novo sistema. .

Segundo a diretora de Engenharia de Trânsito do Detran, Daniele Valentini, o projeto já foi implantado com sucesso em São Paulo e outros municípios.

 

Ela explica que, aqui na Grande Brasília, as vias foram escolhidas com base nas estatísticas. “Após o período de adaptação e as primeiras análises de segurança, daremos continuidade ao projeto nas principais vias de outras cidades como Taguatinga, Ceilândia e Águas Claras.”

Acidentes de trânsito
Até agosto, as motocicletas somavam 194.518 unidades no Distrito Federal — o equivalente a 11,6% de toda a frota que, no mesmo período, estava em 1.669.445 veículos.

 

De acordo com as estatísticas do Detran, de janeiro a agosto deste ano morreram 52 motociclistas em acidentes, 20% a menos que no mesmo período do ano passado, quando foram registrados 65 óbitos. (Com informações do Detran-DF)

 

Fonte: *Via Metropole/Clipping

COMENTÁRIOS