compartilhar

CRISE HÍDRICA: Consumo de água na Grande Brasília caiu 12 por cento no 1o. semestre com racionamento

Segundo pesquisa da Caesb, todas as localidades do Distrito Federal reduziram consumo, de 4,8% a 19,5%. Exceção foi Paranoá, onde gasto aumentou 22% com inclusão de residencial no abastecimento.

O Distrito Federal conseguiu reduzir o consumo de água em 11,89% no primeiro semestre de 2017 em comparação com o mesmo período do ano passado, segundo dados da Companhia de Saneamento Ambiental (Caesb).

A economia é reflexo do racionamento, imposto desde janeiro em esquema de rodízio.

As localidades que alcançaram os maiores índices de economia foram o SIA (19,5%), o Lago Sul (19,4%), Santa Maria (17,4%) e Lago Norte (17,3%).

Já o Paranoá foi a única região que registrou aumento no consumo de água durante os meses de racionamento. O volume gasto na cidade-satélite foi 22,3% superior.


A Caesb explicou ao G1 que o incremento deve-se à inclusão do Paranoá Parque no sistema de abastecimento da região. Até dezembro de 2016, o local recebia água por meio de um poço artesiano administrado pela construtora.

 

Confira a economia de água de cada local, em ordem dos 'maiores poupadores':

 

 

  1. SIA: -19,55%
  2. Lago Sul: -19,48%
  3. Santa Maria: -17,47%
  4. Lago Norte: -17,34%
  5. Ceilândia: -15,29%
  6. Guará: -13,92%
  7. Taguatinga: -13,51%
  8. Cruzeiro: -12,99%
  9. Park Way: -12,97%
  10. Plano Piloto: -12,74%
  11. Candangolândia: -12,24%
  12. Sudoeste/Octogonal: -12,16%
  13. Recanto das Emas: -12,01%
  14. Economia média da Grande Brasília: -11,89%
  15. Núcleo Bandeirante: -11,73%
  16. Samambaia: -11,68%
  17. Riacho Fundo I: -11,62%
  18. Gama: -11,48%
  19. Águas Claras: -10,56%
  20. Itapoã: -10,15%
  21. Varjão: -10,13%
  22. Brazlândia: -8,80%
  23. Jardim Botânico: -8,79%
  24. Sobradinho: -7,77%
  25. Vicente Pires: -7,57%
  26. Sobradinho II: -6,78%
  27. Estrutural/SCIA: -6,57%
  28. Fercal: -5,96%
  29. São Sebastião: -5,47%
  30. Planaltina: -5,42%
  31. Riacho Fundo II: -4,84%
  32. Paranoá*: 22,29%

 

Fonte: *Via G1/Clipping

COMENTÁRIOS