compartilhar

SEM CAMELÔS E PIRATAS: Operação conjunta combate o comércio irregular e disciplina o trânsito próximo às estações do Metrô

Ação integrada envolve vários órgãos dos Governos Distrital e Federal. Finalidade é combater o comércio irregular, desrespeito às regras de trânsito e transporte de passageiros

Ação integrada entre vários órgãos do Governo do Distrito Federal e a Companhia do Metropolitano do DF (Metrô), nesta segunda-feira (25), tem por intenção fiscalizar o transporte regular e irregular local e interestadual de passageiros, a prática de comércio ambulante e o desrespeito às regras de trânsito nas imediações da Estação Shopping.

 

A operação é planejada e coordenada pela Subchefia Especial da Ordem Pública e Social (SEOPS), com a participação da Agência de Fiscalização (AGEFIS), Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT), Departamento de Estradas de Rodagem (DER), Departamento de Trânsito (DETRAN), Polícia Militar (PMDF), a Polícia Rodoviária Federal (PRF) e a Subsecretaria de Fiscalização, Auditoria e Controle (SUFISA).

Um dos resultados esperados com a operação é a valorização do espaço de convivência e trânsito dos pedestres. 

A Estação Shopping tem grande movimentação – por dia, circulam 16 mil usuários.

O comércio irregular ocorre nas paradas de ônibus ao lado da Estação do Metrô e do Park Shopping, na passagem de pedestres entre o Carrefour e o Park Shopping, na passarela de ligação entre o Metrô e o Park Shopping e entre o Metrô e a Rodoviária Interestadual.

O desrespeito às regras de trânsito ocorre no estacionamento da Rodoviária Interestadual, na Estação do Metrô, no Hotel Quality e no Park Shopping.

Levantamento da SEOPS indica que há, ainda, ocupação irregular de área pública, pessoas em vulnerabilidade social, transporte irregular, pichações, entre outros.

 “A operação segue o modelo da “Ação Centro Legal”, que vem ocorrendo na Rodoviária de Brasília e no Setor Comercial Sul, com ocupação e manutenção da área por tempo indeterminado”, explicou o presidente do Metrô, Marcelo Dourado.

A ação desta segunda é a primeira de outras que já foram programadas para o sistema metroviário. 

 

COMENTÁRIOS