compartilhar

ÁGAPE: Projeto distribui perucas coloridas para pacientes do Hospital da Criança de Brasília

Voluntários animaram a tarde na instituição, nesta segunda; pianista de 14 anos tocou músicas do cinema infantil. Programação se estende durante toda a semana, em referência ao Dia das Crianças.

Pacientes do Hospital da Criança de Brasília receberam, nesta segunda-feira (9), uma festa antecipada. Para comemorar o Dia das Crianças, o “Projeto Ágape” levou para a instituição fantasias, pinturas de rosto e brincadeiras. Durante a atividade, os voluntários distribuíram perucas coloridas para cerca de 120 meninos e meninas.

Na semana que marca o dia dedicado aos pequenos, o hospital vai oferecer atividades para os pacientes. Sarau literário, peças infantis e até cabine fotográfica estão na programação.

Responsáveis pela iniciativa desta segunda, o pianista Gabriel Piernes, 14 anos, e a jornalista Pethy Mattos, 54 anos, organizaram a festa, que contou com a participação de 50 voluntários. Os dois receberam um convite da ONG Abrace – entidade filantrópica parceira do hospital – e desenvolveram brincadeiras para as crianças que estiveram na instituição.

“Isso aqui é uma terapia, melhora a autoestima da meninada. Costumo dizer que é quase um medicamento saboroso”, disse a presidente da Abrace, Ilda Peliz.

Gabriel Piernes apresentou para a garotada músicas do cinema infantil, como as trilhas sonoras de a “Bela e Fera”, “Frozen” e “Piratas do Caribe”. Ele e a mãe, Pethy Mattos, iniciaram uma campanha em uma rede social para arrecadar as perucas. As mensagens ganharam repercussão e, em três dias, a dupla conseguiu arrecadar 130 exemplares.

“Nossa proposta foi criar um Dia das Crianças antecipado. Queremos fazer com que a garotada se lembre desse momento toda vez que essas músicas forem tocadas”, afirmou Pethy Mattos.

A dona de casa Eurides Araújo dos Santos, 36 anos, mora em Barreiras (Bahia) e todo mês vem a Brasília para trazer o filho para as consultas no Hospital da Criança. Esbanjando simpatia, Antônio Gabriel Araújo desfilou pela atividade distribuindo beijos e abraços em todos os pacientes.

“Meu filho tem um tumor no cérebro. Apesar do diagnóstico, ele não deixa a alegria de lado. Essas atividades aliviam um pouco a rotina do hospital”, disse Eurides.

De três em três meses, Larissa Daniele de Oliveira, 27 anos, leva a filha de 4 anos, que tem asma, para a unidade de saúde. Com a peruca na cabeça e a mão pintada, Isabela Victoria de Oliveira subiu ao palco para dançar. “Isso pode até ser um gesto pequeno, mas faz toda a diferença para as crianças”, afirmou Larissa.

 

Pianista autodidata

 

Desde os 6 anos, Gabriel Piernes participa de ações voluntárias ao lado da mãe. Seja no teclado ou no piano, ele usa a música como uma ferramenta de transformação social. Os dois trabalham com crianças e adultos em situação de vulnerabilidade. Atualmente, eles moram em uma comunidade terapêutica, que abriga moradores de rua, em Samambaia.

 

“A gente pega o piano ou o teclado e vai para a rua tocar. É algo que nos motiva."

 

Fonte: *Via G1/Clipping

COMENTÁRIOS