compartilhar

AEDES AEGYPTI: Grande Brasília registra 6.014 casos prováveis de dengue desde o início de 2017

É o que mostra o Boletim Epidemiológico nº 36, divulgado nesta quarta-feira (11) pela Secretaria de Saúde. Notificações se concentram em 10 regiões

Brasília registrou 4.308 casos prováveis de dengue até 9 de outubro, o que corresponde à Semana Epidemiológica nº 40.

É o que mostra o Boletim Epidemiológico nº 36, divulgado pela Secretaria de Saúde nesta quarta-feira (11).

Desse total, 3.797 pacientes residem no Distrito Federal.

 

Os residentes em outras unidades da Federação somam 511.

A faixa etária com maior incidência da doença situa-se entre 20 e 49 anos de idade — eles são 53% dos registros.

Em seguida, vêm os pacientes com idade entre 5 e 19 anos (22%) e o público de 50 anos a mais de 80 anos (18%).

Crianças menores de 5 anos representam 7% das pessoas contaminadas.

Além disso, 10 localidades concentram 77% da incidência da doença.

São elas: Planaltina, Ceilândia, Samambaia, Gama, São Sebastião, Santa Maria, Taguatinga, Recanto das Emas, Estrutural e Guará.

Desde o início do ano, o DF teve 14 casos graves e 10 mortes por dengue. Em comparação com o mesmo período do ano passado, houve redução: ocorreram 41 registros graves e 22 óbitos em residentes na Grande Brasília à época.

Febre chikungunya e zika vírus

O Boletim Epidemiológico nº 36 apresentou também o quadro de febre chikungunya. Até a Semana nº 40, foram 131 casos prováveis: 107 em residentes do Distrito Federal e 24 em moradores de outras unidades da Federação.

Os registros se concentram nas cidades-satélites de Taguatinga, Ceilândia, Samambaia, Gama, Guará e Planaltina.

Os casos prováveis de zika vírus, por sua vez, somam 75 no período: 56 de residentes aqui e 19 de moradores de outras unidades da Federação. As cidades-satélites com maior incidência são: Samambaia, Taguatinga, Santa Maria, Planaltina e Gama.

 

COMENTÁRIOS