compartilhar

ILEGAL: Empresa responsável por obra que desabou em Vicente Pires não tinha registro

A empresa de arquitetura responsável pela obra que desabou e matou um homem de 55 anos nessa sexta-feira (20), na Colônia Agrícola Samambaia, em Vicente Pires, atuava de maneira irregular.

Segundo o Conselho de Arquitetura e Urbanismo do Distrito Federal (CAU/DF), a empresa “Agmar e Lissandra Arquitetura”, responsável pela obra de acordo com a placa de identificação instalada no local do desabamento, não possui registro no órgão.

 

Além disso, Agmar Silva, vítima que foi encontrada nos escombros na madrugada desta segunda-feira, também não tinha registro de arquiteto e urbanista.

Ainda segundo o órgão, o Registro de Responsabilidade Técnica (RRT) da construção não foi localizado. “Por esse motivo, a profissional Lissandra, indicada na placa de obra, será inicialmente notificada por ausência de RRT”, afirmou o conselho, em nota. O caso será levado também à Comissão de Exercício Profissional (CEP-CAU/DF) e, posteriormente, à Comissão de Ética e Disciplina (CED-CAU/DF) para apreciação e julgamento.

Se condenada, a arquiteta e urbanista poderá receber multa e advertência reservada, além de cancelamento de registro.

 

COMENTÁRIOS