compartilhar

AO LADO DOS TRILHOS: Livro e exposição de fotos no Metrô retratam histórias de personagens anônimos

Pesquisadores e artistas percorreram dez cidades-satélites para lançar Projeto “A Pele das Cidades”. Fotografias estarão expostas na Estação Galeria

Será nesta segunda-feira (30), às 19h, na Estação Galeria do Metrô, o lançamento do livro e da exposição “A Pele das Cidades”, da antropóloga Luísa Molina, com fotografias de Rinaldo Morelli e Introdução do antropólogo e professor da Universidade de Brasília (UnB), José Jorge de Carvalho.

 

A exposição tem 70 imagens e dez painéis em grafite dos artistas Guga Baygon e Miguel Oliveira (WOW).

O projeto foi patrocinado pelo Fundo de Apoio à Cultura do Distrito Federal (FAC).

Ao longo de um ano, as pesquisadoras e antropólogas Mariana Cruz e Verônica Kaezer estiveram em dez cidades-satélites da Grande Brasília, onde entrevistaram mais de 50 moradores, e redigiram relatórios de campo que deram origem aos textos do livro.

Nesse universo, foram escolhidos os personagens do projeto, que relataram suas histórias de vida e suas impressões sobre a cidade onde vivem.


O livro tem 192 páginas, com a riqueza de histórias de gente simples, como a do morador do Itapoã, conhecido por “Bahia”, que vive entre a cruz e o copo – uma de suas batalhas é superar o alcoolismo com a ajuda da igreja – e confunde o interlocutor com sua multiplicidade: dezenas de profissões, religiões, cidades onde morou, mulheres por quem se apaixonou. Já em São Sebastião, em meio à festa de cores, sons, cheiros, sabores e texturas da feira de domingo, dois sorridentes jovens cegos tocam seus instrumentos. Para Marcelo e Romário, sua atividade se resume em “alegria, dar alegria ao povo, essa é nossa vida”.


“Ao longo de um ano, sob sol e chuva, a equipe deste projeto percorreu as cidades do DF, procurando tocá-las de diferentes formas. Tocá-las através de seus moradores – inicialmente em conversas, e em seguida em textos, fotografias, grafites e vídeos”, explica Luísa Molina.

Na Introdução, José Jorge de Carvalho cita que o texto de Luísa Molina sobre as cidades do DF e seus personagens dignos e cativantes reinventa a narrativa sobre Brasília, com uma perspectiva nova, amorosa e humanizadora.

“Toca áreas que, acredito, jamais haviam sido exploradas na maioria das obras que conheço sobre as capitais famosas do mundo. Brasília foi criada pelas elites como uma capital sem povo; mas é o povo de que este livro fala que faz dela uma capital respeitável”, destacou.

Serviço:
“A pele das cidades” – Exposição e lançamento de livro 
Data: 30 de outubro
Horário: às 19h
Local: Estação Galeria do Metrô (Setor Comercial Sul)

 

COMENTÁRIOS