compartilhar

FAST-FOOD: Herdeiro do grupo Giraffas quer ser governador do Distrito Federal

Alexandre Guerra, 36 anos, filho do fundador da rede de fast-food, deve ser o candidato do Partido Novo ao Palácio do Buriti

O conselheiro e herdeiro da rede Giraffas, Alexandre Guerra, quer entrar na disputa pelo Governo do Distrito Federal. Filho de Carlos Guerra – fundador da lanchonete, em 1981 – o empresário de 36 anos iniciou um processo seletivo dentro do Partido Novo para disputar o cargo majoritário.


Guerra trabalha na rede de fast-food brasiliense há 20 anos, foi CEO do grupo entre 2012 e 2016 e hoje é membro do Conselho de Administração da organização, com mais de 410 unidades no território nacional e no exterior.Resultado de imagem para GIRAFFAS

Os restaurantes da rede atendem 90 mil pessoas por dia e têm cerca de 10 mil funcionários.

Formado em direito, Alexandre Guerra tem mestrado em administração e MBA em comércio internacional e está incluído em uma mobilização do Partido Novo para as eleições de 2018.

Inscrita oficialmente no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) desde 2015, a legenda terá um candidato para concorrer ao Palácio do Buriti. Mas a confirmação do herdeiro do Giraffas depende da conclusão de procedimentos internos da agremiação.

Divulgação

 

Filiado ao Novo há mais de um ano, Alexandre Guerra passou pela primeira fase da seletiva e precisa avançar em mais três para ter o nome divulgado na convenção estadual, em julho de 2018.

O processo é uma exigência do Novo para os que desejam se candidatar a qualquer cargo eletivo.

Antes de um nome ser lançado, é preciso que a pessoa passe por quatro etapas do processo. Os interessados precisam apresentar currículo; gravar um vídeo de dois minutos explicando o porquê da filiação; ser aprovado em uma prova de alinhamento com os valores da agremiação; e ter o aval de uma banca examinadora formada por cinco integrantes de diretorias regionais.

“O Alexandre nunca foi candidato e vive um momento profissional que o torna apto a se dedicar ao projeto. Vamos aguardar a conclusão de todas as etapas da seleção. Mas o nome do candidato ao GDF só será anunciado em julho de 2018”, afirmou o presidente do Novo no DF, Edvard Corrêa.


O ex-reitor da Universidade de Brasília (UnB) Ivan Camargo também chegou a ser cotado para a disputa do cargo majoritário após seleção.

No entanto, Camargo trabalha em um projeto na França que vai durar dois anos, e não poderá participar do pleito. 

Além da disputa para o GDF, o Novo tem hoje 68 pessoas em fases diferentes do certame interno para disputar cargos de deputados federal e distrital e senador. 

 

Fonte: *Via Metropole/Clipping

COMENTÁRIOS