compartilhar

FIM DA PARALISAÇÃO: Servidores da CEB aceitam proposta e encerram greve depois de 12 dias

Trabalhadores assentiram com reajuste salarial de R$ 140,96 e aumento no vale-alimentação. Acordo foi costurado pelo TRT-DF

Em assembleia realizada nesta quinta-feira (16/11), os servidores da Companhia Energética de Brasília (CEB) aceitaram a proposta da empresa e decidiram encerrar a greve que durava 12 dias.

 

Os trabalhadores receberão R$ 140,96 de reajuste salarial e terão metade dos dias parados abonados. Este último acordo foi chancelado em audiência no Tribunal Regional do Trabalho da 10ª Região (TRT-10).


Além disso, a CEB se comprometeu a aumentar o vale-alimentação para R$ 1,3 mil mensais. Segundo o sindicato da categoria (Stiu-DF), existem cerca de 100 chamados pendentes de atendimentos. Na semana passada, após o temporal que atingiu o Distrito Federal, os pedidos de emergência chegaram a mais de 3 mil em função da paralisação.


Durante as negociações, o clima esquentou entre sindicalistas e a direção da empresa. Devido às fortes chuvas registradas nos dias 7 e 8 deste mês, várias ocorrências de falta de energia foram ignoradas. Na ocasião, as chuvas vieram acompanhadas de rajadas de ventos de 50km/h.

Transtornos
A causa principal das ocorrências teve relação com a ventania que lançou objetos nos cabos energizados, além de derrubar árvores e galhos nas redes de energia. A CEB atribuiu os transtornos aos sindicalistas e disse, na ocasião, que seria inviável bancar aumento salarial oito vezes maior do que a inflação.


No sábado (11/11), o presidente do TRT, desembargador Pedro Luís Vicentin Foltran, determinou, por meio de liminar, que os empregados da Companhia atendessem prontamente 100% dos chamados realizados pelos usuários relacionados a problemas emergenciais e de suspensão de energia elétrica, referentes ou não às intempéries.

 

Já para as demais atividades, os trabalhadores foram obrigados a garantir o contingente mínimo de 50% (cinquenta por cento) enquanto perdurasse a paralisação. O descumprimento da medida estava sujeito à aplicação de multa diária de R$ 100 mil.

 

Fonte: *Metropole/Clipping

COMENTÁRIOS