compartilhar

"A COISA CADA VEZ MAIS FEIA": Adasa vai revisar "meta" dos reservatórios após Descoberto ficar abaixo do esperado

Pela projeção feita em maio, maior reservatório de Brasília deveria fechar novembro em 12%, mas está na metade disso. Governador diz que metas servem como 'indicador'.

Agência Reguladora de Águas do Distrito Federal (Adasa) informou nesta segunda-feira (27) ao G1 que está revisando a curva de acompanhamento dos reservatórios do Descoberto e de Santa Maria.

São as “metas” de volume para cada semana e mês – um percentual mínimo estimando como devem fechar os reservatórios em cada período. A agência, porém, não deu prazo para divulgar as novas projeções.

Barragem do rio Descoberto, responsável por abastecer 65% do Distrito Federal, em 16 de outubro de 2017; volume estava em 11,7% (Foto: Pedro Ventura/Agência Brasília)

A situação do Descoberto é a mais crítica. Barragem do rio Descoberto, responsável por abastecer 65% do Distrito Federal, em 16 de outubro de 2017; volume estava em 11,7%

 

Pela previsão da Adasa, feita em maio, o reservatório terminaria este mês de novembro em 12%. No entanto, até domingo (26), o volume estava em apenas 6,4% – apesar de ter voltado a subir devido à chuva forte do fim de semana.

Segundo a Adasa, o nível do Descoberto está abaixo da meta porque “as chuvas do mês de outubro ficaram muito abaixo da média para esse período”.

Curva de acompanhamento do nível do reservatório do Descoberto, em Brasília, até dezembro de 2017  (Foto: Arte/TV Globo)

Curva de acompanhamento do nível do reservatório do Descoberto, em Brasília, até dezembro de 2017 

Já o reservatório de Santa Maria deveria terminar novembro em 22%, de acordo com as metas estabelecidas em junho. Até este domingo, o nível estava em 21,9%.

As curvas de acompanhamento da Adasa correspondem na prática ao "pior cenário", e funcionam como um sinal de alerta.


Ao divulgar as metas, o diretor-presidente da Adasa, Paulo Salles, disse que se elas fossem descumpridas, haveria possibilidade de reduzir o ritmo de captação de água nos reservatórios.

Ou seja, restringir a quantidade de água distribuída para a população.


Depois que o Descoberto passou para “debaixo” da meta, a Adasa não chegou a determinar a redução da vazão.

No entanto, a agência autorizou a Caesb a fazer racionamento de dois dias.


Por outro lado, a Caesb diz que evita implementar a medida, alegando que isso traria mais prejuízo à população e à economia. A companhia informou que consegue evitar o racionamento de dois dias enquanto o Descoberto não atingir 0% do volume útil.

Curva de nível do reservatório de Santa Maria, no DF, para 2017 (Foto: Arte/TV Globo)

Curva de nível do reservatório de Santa Maria para 2017

Questionado nesta segunda, o governador Rodrigo Rollemberg afirmou que as curvas de monitoramento servem basicamente como guia.

“A meta serve de indicador para tomar medidas que já estamos tomando para melhorar a capacidade de abastecimento no Distrito Federal”, afirmou, ao citar as obras em curso para aumentar o fornecimento de água.


Ele também disse que prorrogou o decreto que estabelece situação de emergência devido à crise hídrica porque "ainda estamos em uma situação crítica".

"Temos que continuar fazendo os esforços de economia e esperamos que ao final desse período de chuva, com as medidas tomadas pelo governo, nós possamos ter esses reservatórios com volume de água adequado para enfrentar a seca."

 

Fonte: *Via G1/Clipping

COMENTÁRIOS