compartilhar

RAPAZIADA DESCUIDADA: Casos de HIV/Aids caem, porém índice é maior entre jovens de 15 a 29 anos

Dados foram apresentados em boletim epidemiológico pela Secretaria de Saúde

O número de casos de HIV/Aids tem se mantido na média nos últimos cinco anos, porém, mostrou um leve aumento na faixa etária de 15 a 29 anos.

Os dados foram apresentados pela Secretaria de Saúde, no boletim de situação epidemiológica da doença no Distrito Federal.

Em 2016, um total de 936 casos de HIV/Aids foram notificados pela Secretaria de Saúde, sendo 617 diagnósticos do vírus e 319 que chegaram a ter a Aids, que é o efeito da infecção pelo HIV.

A maior parte dos casos foi em homens: 791 casos.

"Desde 2009, a Secretaria de Saúde faz a análise de casos de HIV e Aids e os dados apontam que estamos conseguindo fazer mais diagnósticos de HIV, o que tem feito diminuir os casos de Aids. Com a detecção precoce, já iniciamos o tratamento, o que leva o paciente a ter uma vida normal", explica o gerente de DST da Secretaria de Saúde, Sérgio d’Ávila.


Em relação à Aids segundo faixa etária, verifica-se que, em ambos os sexos, predomina na fase adulta, compreendendo a faixa de 25 a 39 anos, o que corresponde a 52,4% dos casos. No entanto, também se observa aumento de casos na faixa de 15 a 24 anos, que representavam 10,8% dos casos notificados em 2011 e em 2016 passaram a representar 16,9% do total. Já os casos nas faixas etárias acima de 40 anos, mantem em 2016 uma proporção semelhante a 2011 (37,6%).


MONITORAMENTOResultado de imagem para aids na juventude

O boletim foi divulgado pela secretaria na semana que compreende o Dia Mundial de Combate de Combate a Aids - 1º de dezembro.

 

A intenção é contribuir para o monitoramento de casos de HIV e de Aids com a perspectiva de compreender o cenário epidemiológico no Distrito Federal, subsidiando a gestão para a tomada de decisões baseadas em evidências e possibilitando adequações no planejamento das ações de controle dessas infecções.

Uma das ênfases deste ano é a importância do fortalecimento da prevenção, principalmente entre os mais jovens. Esse foco é necessário devido ao crescimento de casos de HIV e Aids nessas faixas etárias.


CASOSResultado de imagem para aids na juventude

Desde o início da epidemia, em 1985, já foram notificados 10.299 casos de Aids na Grande Brasília. No período de 2011 a 2016 foram notificados 2.903 casos novos de Aids e 2.917 casos de HIV.


O Ministério da Saúde estima mais de 700 mil pessoas com HIV/Aids no país, sendo que muitos ainda não sabem que são portadores desta doença ou que não estão sendo tratados adequadamente. Isto leva a um grande número de casos de adoecimento. Além disso, anualmente morrem cerca de 13 mil pessoas por Aids no Brasil.


PROGRAMAÇÃO

A Secretaria de Saúde realiza, em articulação com diversos órgãos governamentais e organizações da sociedade civil, diversas ações durante a Semana Distrital de Prevenção e no Dia Mundial de Luta Contra Aids.


Nesta segunda-feira (27), além da divulgação do Boletim Epidemiológico foram iniciadas ações de prevenção na UBS 1 de Sobradinho, UBS 3 de Ceilândia, CTA/Rodoviária, escolas, ONGs e na Universidade de Brasília (UnB), com testes, acolhimento, fornecimento de preservativos e materiais gráficos. As ações vão até 1 de dezembro.

Nesse período também serão feitas ações de comunicação digital nas plataformas da Secretaria de Saúde.


Nos dias 28 e 29 de novembro ações educativas de parceiros serão implementadas, respectivamente, para idosos, em Ceilândia, e para estudantes, no Instituto Federal de Brasília em Samambaia e Planaltina.


No dia 30 de novembro será realizado o Evento Amigos da Vida na Embaixada da França, com debates. Em 1º de dezembro ocorrerão eventos no Centro de Referência Especializada em Assistência Social da 614 Sul, das 9h às 19h; a 5ª Jornada de Infectologia na Associação Médica de Brasília (AMBr); e o Evento Amigos da Vida, no Auditório Fecomércio.

 

COMENTÁRIOS