Image and video hosting by TinyPic

 

Image and video hosting by TinyPic

 

compartilhar

INSTITUTO MÉDICO LEGAL: Após ameaça de acúmulo de corpos no IML, GDF anuncia ampliação do Serviço de Óbitos

A medida garante que, a partir deste 1º de janeiro, o Serviço de Verificação de Óbitos será estendido a sete hospitais da rede pública

Depois de funcionários do Instituto Médico Legal (IML) ameaçarem deixar de manipular e liberar cadáveres de pessoas que morreram de causas naturais, a Secretaria de Saúde do Distrito Federal divulgou lista com as unidades que contarão com o Serviço de Verificação de Óbitos (SVO).

A medida, antecipada pelo Metropoles na quarta-feira (20/12), começou a valer ontem, 1º de janeiro.

Hoje, cerca de 40% dos mortos recolhidos pelo IML deveriam ser encaminhados para o SVO, mas, legalmente, o instituto só deveria ser responsável por óbitos decorrentes de causas violentas.

RAFAELA FELICCIANO/METRÓPOLES

Atualmente, o SVO funciona apenas no Hospital Regional de Ceilândia (HRC). No entanto, sucateado e com poucos profissionais, não é capaz de suportar a demanda.

Pela decisão, publicada em nota técnica, o SVO vai ser ampliado para o Hospital Regional da Asa Norte (HRAN), Hospital Materno Infantil de Brasília (HMIB), Hospital Regional de Ceilândia (HRC), Hospital Regional de Santa Maria (HRSM), Hospital Regional de Taguatinga (HRT) e Hospital Regional de Sobradinho (HRS).

 

Para o presidente da Associação dos Técnicos em Necrópsia do IML (Asten), José Romildo Soares, a medida é apenas o começo. “É um primeiro passo tirarem os corpos (de pessoas que morreram de causas naturais) do IML. Mas, nossa intenção é, futuramente, também deixar de fazer as remoções”, ressalta.

 

COMENTÁRIOS