compartilhar

NOVO TERMINAL AÉREO: Terracap quer transformar aeródromo em aeroporto executivo da capital federal

Companhia recebe, até 16 de janeiro, propostas de empresas que querem administrar futuro negócio. Ideia é incentivar economia, diz presidente da estatal.

Brasília vai ganhar um novo aeroporto para atender só voos executivos, em um terreno da Terracap.

Ele deve começar a operar daqui a um ano, no local onde funciona o Aeródromo de São Sebastião, para pousos e decolagens de aviões particulares.

A pista atual tem 1,5 quilômetro de comprimento e 23 metros de largura, metade do Aeroporto JK.

Os mais de 90 hangares abrigam cerca de 200 aeronaves.

Aeródromo de São Sebastião, onde vai funcionar futuro aeroporto (Foto: TV Globo/Reprodução)

Segundo a Terracap, na década de 1990, a terra foi arrendada pelo pioneiro João Botelho para atividades rurais, mas ele acabou erguendo o aeródromo. Ele tem desde 2014 autorização da Agência Nacional de Aviação Civil (ANaC) para funcionar de dia.

A dono da terra, a Terracap, não era favorável ao empreendimento, e conseguiu de volta as terras e as construções na Justiça.

 

Agora, a empresa estatal quer transformar o espaço em um aeroporto executivo para atrair não só empresas de voos comerciais (como táxi aéreo), mas também empresas de entretenimento, hotéis, espaços para feiras e eventos.

“Isso atrai empresas, movimenta a economia. Isso dinamiza a economia do DF. Brasília tem a necessidade de um aeroporto que atenda a aviação executiva”, declarou o presidente da Terracap, Júlio César Reis.

Propostas

 

A Terracap está recebendo até 16 de janeiro propostas de empresas interessadas em administrar o futuro aeroporto. Pode ser por concessão (em que a empresa fica com a gestão por um tempo determinado) ou por parceria público-privada (em que tanto o governo quanto a empresas administram o espaço).


“A área continua sendo de propriedade da Terracap. Tudo que for edificado nessa área irá se incorporar ao patrimônio da Terracap, que irá ter também um percentual com retorno calculado em cima do faturamento de quem vier a explorar”, continuou Reis.

O prazo para a empresa explorar o aeroporto ainda não foi determinado. A previsão é de que o edital saia em setembro, e o contrato seja assinado em dezembro.


Atualmente, o aeródromo é administrado pela associação Prossiga. De acordo com o presidente da entidade, José Rios, o local tem licença para operar desde a década de 1990 e vem sendo renovada. A associação considera positivo o novo modelo sugerido pela Terracap e diz que vai apresentar uma proposta de negócio.

Hangares no aeródromo (Foto: TV Globo/Reprodução)

 

Fonte: *Via G1/Clipping

COMENTÁRIOS