compartilhar

PREVINA-SE: Furto em veículos sobe 3,4 por cento na Grande Brasília em janeiro, divulga SSP/DF

Houve queda considerável no número de homicídios

Os automóveis protagonizaram estatísticas negativas na segurança pública do Distrito Federal no mês de janeiro.

O furto em veículos — caracterizado por arrombamentos e roubo de objetos — registrou alta de 3,4%.

Houve 34 casos a mais, em relação a janeiro do ano passado.

 

O número de vítimas em acidentes de trânsito também subiu, após 13 meses de reduções consecutivas.

Foram 31 mortes contra 20, registradas em janeiro de 2017, de acordo com o Departamento de Trânsito do Distrito Federal (Detran-DF).


O ponto positivo do balanço da criminalidade, divulgado hoje pela Secretaria de Estado da Segurança Pública e da Paz Social, foi a queda de 22% no número de homicídios.

É o menor índice da série histórica, iniciada nos anos 2000.


Segundo o diretor de policiamento e fiscalização do Detran, Glauber Peixoto, o índice de vítimas em acidentes de trânsito foi impulsionado por três episódios específicos, ocorridos em janeiro, nos quais sete pessoas morreram.


Três acidentes

Em um capotamento na BR-060, na altura do km 5, houve registro de três óbitos. Na DF-001, próximo à Torre Digital, duas pessoas morreram após a colisão entre uma motocicleta e uma carroça. No Lago Norte, um casal de idosos morreu atropelado no último mês.

O diretor explica que o levantamento das causas dos acidentes de janeiro ainda não foi consolidado. “Não podemos afirmar que foram fatalidades porque todo acidente é evitável”, ressalta.

Depois da interrupção de 13 meses consecutivos de queda nas mortes no trânsito, o Detran já toma medidas para conter as estatísticas negativas nos próximos meses de 2018. “A colocação de barreiras eletrônicas e radares inteligentes em vias com alto índice de acidentes, como em Ceilândia e nas W3”, menciona o porta-voz do Detran.


Baixa nos homicídios

A redução dos registros do crime de homicídio foi o destaque positivo do balanço da segurança de janeiro. Houve 32 casos. Em todos os meses de janeiro monitorados até hoje, o menor índice registrado tinha sido de 37 ocorrências. “É a menor quantidade de ocorrências em toda a série histórica, desde os anos 2000. Tivemos 22% ocorrências a menos, em relação a janeiro de 2017”, ressalta o secretário de segurança, Edval Novaes.

“É uma redução extremamente significativa. A gente começa o ano com o pé direito, baixando índices que no ano passado já foram baixos”, avalia o secretário. Em 2017, a taxa de homicídios chegou a 16,3 homicídios para cada grupo de 100 mil habitantes.

 

COMENTÁRIOS