compartilhar

AGUACEIRO NO CENTRO: Chuva faz Congresso Nacional sumir e reaparecer em apenas 10 minutos

Ilusão de ótica faz sede do Legislativo desaparecer. INMet emite alerta laranja em Brasília.

O prédio do Congresso Nacional "sumiu" e "reapareceu" em apenas 10 minutos na tarde desta quarta-feira (21). O fenômeno foi provocado pela forte chuva forte que caiu na área central de Brasília.

Segundo o Instituto Nacional de Meteorologia (INMet), o efeito é uma espécie de ilusão de ótica causada pela chuva forte que vem de nuvens baixas acompanhada de ventos fortes.


Morgana Almeida, meteorologista do Inmet, explica que o fenômeno não causa maiores transtornos, embora seja preciso mais cuidado no trânsito. “A névoa úmida não tem um grande impacto, a não ser em áreas marítimas”, diz.

Congresso Nacional 'some' durante chuva forte em Brasília (Foto: TV Globo/Reprodução)

 

Alerta laranja

 

A chuva foi forte no início da tarde, mas tem risco de voltar. No início da tarde desta quarta, o Inmet emitiu alerta laranja no Distrito Federal.

A expectativa é de chuva entre 30 e 60 milímetros por hora – ou de 50 a 100 milímetros no dia. Assim, há risco de corte de energia elétrica, de queda de galhos de árvores, de alagamentos e de descargas elétricas.


O INMet recomenda desligar aparelhos elétricos e quadro geral de energia, se possível, e alerta para que os moradores não se abriguem em caso de rajadas de vento.

Em caso de emergência, é possível obter mais informações por meio dos telefones 193 (Corpo de Bombeiros) ou 199 (Defesa Civil).

Alertas por SMS

Sistema alerta sobre riscos de inundações, alagamentos, temporais e deslizamentos de terra (Foto: Bruno Rodrigues/G1)

 

Brasília integra desde segunda-feira o sistema gratuito de alertas de desastres naturais por celular, coordenado pela Defesa Civil Nacional. Os brasilienses podem cadastrar suas linhas móveis para receber mensagens de alertas de inundações, alagamentos, temporais e deslizamentos de terra próximas às suas regiões.


Moradores que não receberem o contato podem enviar o CEP em que moram para o telefone da Defesa Civil Nacional, o 40199.

Os alertas são gerados pelo Centro de Gerenciamento de Riscos e Desastres (Cenad) da Secretaria Nacional de Proteção e Defesa Civil (Sedec), do Ministério da Integração, em parceria com os órgãos de Defesa Civil de estados e municípios.


Segundo levantamento apresentado pela Defesa Civil em novembro passado, o Distrito Federal tem 36 áreas de risco, distribuídas por 18 regiões administrativas.

 

O caso mais grave é o da ocupação de Santa Luzia, na Vila Estrutural. Ao todo, são 4.733 residências, onde vivem cerca de 19 mil moradores, localizadas em áreas analisadas como de frágil infraestrutura, passíveis de maior dano em casos de deslizamentos, escorregamentos, enchentes, incêndio, desabamento entre outros desastres.

As localidades com áreas de perigo são: Águas Claras, Ceilândia, Estrutural, Fercal, Itapoã, Núcleo Bandeirante, Paranoá, Planaltina, Recanto das Emas, Riacho Fundo I, Samambaia, Santa Maria, São Sebastião, Setor de Indústria e Abastecimento (SIA), Sobradinho II, Taguatinga, Varjão e Vicente Pires.

De acordo com o relatório, a probabilidade de desastres aumenta na época de chuvas.

 

Fonte: *Via G1/Clipping

COMENTÁRIOS