Image and video hosting by TinyPic

 

Image and video hosting by TinyPic

 

compartilhar

REAJUSTE PREOCUPANTE: Usuários têm medo de perder emprego após aumento das passagens de ônibus em 11,29 por cento

Funcionários, que moram nas cidades goianas, temem ser substituídos por pessoas que moram no Distrito Federal

Após o aumento no preço das passagens de ônibus das linhas entre o Distrito Federal e a Região Metropolitana (Entorno do Quadrilátero) no início da semana, agora, os usuários temem perder o emprego.

 

Como alternativa, muitos já pensam em mudar de endereço para mais perto do trabalho. No último domingo, a tarifa ficou 11,29% mais cara e, em alguns trechos, os bilhetes ultrapassaram   R$ 6,50.


Na ligação entre Taguatinga e Luziânia (GO), por exemplo, o tíquete subiu R$ 0,70. O valor da passagem era de R$ 5,85 e passou para R$ 6,55.

 

A mudança no valor da tarifa do transporte semiurbano interestadual e internacional de passageiros, autorizado pela Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT), foi anunciado no Diário Oficial da União da última sexta-feira. 

 

Depois que o reajuste passou a valer, a preocupação em garantir o emprego é grande entre os brasilienses. Ontem, no Terminal Rodoviário da Região Metropolitana, os usuários não esconderam o medo, entre eles o casal Elba Rejane Dias, 33 anos, e Cleiton Rodrigues Batista, 40. Hoje, cada um paga R$ 12,20 todos os dias. "Os patrões estão reclamando, querem contratar funcionários que moram mais perto. Antes, a gente pagava R$ 10,90 por dia", afirmou Elba.


Moradores de Águas Lindas (GO), ambos trabalham no Plano Piloto e seus filhos também usam o transporte público. Segundo Cleiton, mudar de endereço não é uma opção. "Não temos como pagar aluguel, e o transporte pirata é muito perigoso. O jeito vai ser pagar mais caro mesmo, mas estamos revoltados com esse aumento", ressaltou o pedreiro. 


A assistente administrativa Valquíria Rodrigues, 27 anos, garante que se mudar com a família será o próximo passo. "Hoje, nós temos casa própria, mas eu e meu marido estamos pensando em voltar a pagar aluguel e morar mais perto. Ficar nessa situação é impossível, nem o carro compensa por causa do preço da gasolina", comentou. Todo dia, Valquíria pega quatro ônibus e paga R$ 6,10 por cada passagem, após o reajuste. "Soube de empresas que estão dispensando os empregados que moram no Entorno", acrescentou a assistente, que também mora em Águas Lindas (GO).


Versão oficial

Em nota, a Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) explicou que "o cálculo da tarifa é feito levando em consideração a totalidade dos custos da operação, que inclui, entre outros elementos, combustíveis, lubrificantes, peças, acessórios, veículos e despesa com pessoal".

 

 A ANTT ressaltou ainda que cada item de custo tem sua variação apurada por índices oficiais específicos divulgados pela Fundação Getúlio Vargas (FGV), pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) e pela Agência Nacional de Petróleo, Gás Natural e Biocombustiveis (ANP).


Impacto grande no fim do mês

Ainda no Terminal Rodoviário da Região Metropolitana, o ajudante de pedreiro  Almir da Silva, 53 anos, alertou para o impacto desse aumento no fim do mês. "Antes, eu pagava R$ 5,15. Agora, pago R$ 5,75. Parece pouco, mas isso faz muita diferença no total. Para piorar, tenho certeza de que essa mudança no valor dos bilhetes vai resultar em demissão", comentou. 


Segundo ele, que mora no Lago Azul (GO) e pega dois ônibus por dia para trabalhar no Plano Piloto, os patrões já pediram para os funcionários separarem a documentação. "Estou apreensivo", concluiu.


A falta de aviso prévio sobre o reajuste também amplia a lista de reclamações da população. "Fui pego de surpresa. Aliás, uma péssima surpresa", contou o auxiliar de manutenção Lindomar de Oliveira, 35 anos, que mora em Luziânia. 


"Isso é uma falta de respeito. As pessoas e as empresas precisam se programar. Todo dia, pego quatro ônibus e, agora,   pago R$ 5,85 por cada passagem para Luziânia. Por sorte, a minha empresa não ameaçou demissão, mas conheço gente que ficou com medo de perder o emprego e, por isso, está tirando do próprio bolso", completou.


Lindomar afirmou ainda que até o clima no trabalho é afetado. "Toda vez que isso acontece, começam as piadas com quem é do Entorno. De fato, as empresas priorizam as contratações do Distrito Federal e o clima é de pura instabilidade. Dessa vez, não serei atingido. Minha empresa está adequando o vale transporte ", conclui.


Confira a lista:

Girassol (antiga Vila São Jerônimo) - Brasília: de R$ 5,40 para R$ 6

Girassol (antiga Vila São Jerônimo) - Taguatinga: de R$ 4,25 para R$ 4,70

Águas Lindas - Brasília: de R$ 4,85 para R$ 5,40

Águas Lindas - Taguatinga: de R$ 3,70 para R$ 4,10

Águas Lindas - Brasília: de R$ 5,45 para R$ 6,10

Águas Lindas - Taguatinga: de R$ 3,70 para R$ 4,10

Águas Lindas - Ceilândia: de R$ 3,10 para R$ 3,40

Águas Lindas - Brasília: de R$ 5,45 para R$ 6,10

Águas Lindas - Taguatinga: de R$ 3,70 para R$ 4,10

Águas Lindas - Ceilãndia: de R$ 3,10 para R$ 3,40

Águas Lindas - Brasília: de R$ 5,45 para R$ 6,10

Águas Lindas - Ceilândia: de R$ 3,10 para R$ 3,35

Águas Lindas - Taguatinga: de R$ 3,70 para R$ 4,10

Céu Azul - Brasília: de R$ 3,50 para R$ 3,90

Monte Alto - Brasília: de R$ 4,90 para R$ 5,50

Monte Alto - Brazlândia: de R$ 1,45 para R$ 1,60

Monte Alto - Taguatinga: de R$ 4,60 para R$ 5,05

Jardim dos Pinheiros - Brasília: de R$ 4,70 para R$ 5,20

Jardim dos Pinheiros - Taguatinga: de R$ 3,50 para R$ 3,95

Luziânia - Brasília: de R$ 5,20 para R$ 5,85

Luziânia - Gama: de R$ 3,85 para R$ 4,30

Luziânia - Taguatinga: R$ 5,85 para R$ 6,55

Cidade Ocidental - Brasília: de R$ 4,25 para R$ 4,70

Cidade Ocidental - Gama: de R$ 2,90 para R$ 3,20

Cidade Ocidental - Taguatinga: de R$ 4,90 para R$ 5,45

Jardim Ingá - Brasília: de R$ 4,40 para R$ 4,95

Jardim Ingá - Gama: de R$ 2,90 para R$ 3,25

Jardim Ingá - Taguatinga: de R$ 5,05 para R$ 5,65

Novo Gama - Brasília: de R$ 4,95 para R$ 5,50

Novo Gama - Gama: de R$ 1,40 para R$ 1,55

Novo Gama - Brasília: de R$ 4,95 para R$ 5,50

Novo Gama - Gama: de R$ 1,40 para R$ 1,55

Novo Gama - Taguatinga: de R$ 3,40 para R$ 3,75

Santo Antônio do Descoberto - Brasília: de R$ 5,10 para R$ 5,70

Santo Antônio do Descoberto - Taguatinga: de R$ 4,10 para R$ 4,50

Santo Antônio do Descoberto - Brasília: de R$ 5,10 para R$ 5,70 (Taguatur)

Santo Antônio do Descoberto - Taguatinga: de R$ 4,10 para R$ 4,55 (Taguatur)

Santo Antônio do Descoberto - Núcleo Bandeirante:  de R$ 4,15 para R$ 4,55

Planaltina (GO) - Brasília: de R$ 5,55 para R$ 6,15

Planaltina (GO) - Planaltina (DF): de R$ 2,95 para R$ 3,30

Planaltina (GO) - Sobradinho: de R$ 4,15 para R$ 4,60

Parque Estrela D'Alva - Gama: de R$ 1,90 para R$ 2,10

Parque Estrela D'Alva - Taguatinga: de R$ 3,90 para R$ 4,30

Lago Azul - Brasília: de R$ 5,90 para R$ 6,55

Lago Azul - Gama: de R$ 2,75 para R$ 3,10 (Rota do Sol)

Lago Azul - Gama: de R$ 2,80 para R$ 3,05 (Anapolina)

Lago Azul - Taguatinga: de R$ 3,85 para R$ 4,25

Cidade Eclética - Brasília: de R$ 5,45 para R$ 6,10

Cidade Eclética - Núcleo Bandeirante: de R$ 4,45 para R$ 4,95

Valparaíso - Brasília: de R$ 3,80 para R$ 4,25

Valparaíso - Gama: de R$ 2,45 para R$ 2,75

Valparaíso - Taguatinga: de R$ 4,45 para R$ 4,95

Formosa - Planaltina: de R$ 3,90 para R$ 4,35

(*Por: Manuela Rolim)

 

Fonte: *JBr - Clipping

COMENTÁRIOS