compartilhar

O ARSENAL E A OPERAÇÃO PAIOL: Ex-militar do Exército é suspeito de armar crime organizado

Suspeita da Polícia Civil é que Pedro Henrique Freire de Santana conseguia armamento com colegas de farda que até hoje estão em serviço

Cerca de 200 policiais civis estão nas ruas de Samambaia e Ceilândia, na manhã desta quarta-feira (7/3), para desarticular uma quadrilha que vendia armas para criminosos no Distrito Federal.

Entre os investigados, há policiais reformados.

 

São cumpridos 32 mandados judiciais: prisão, busca e apreensão e condução coercitiva.

 

 Segundo as apurações, os armamentos eram distribuídos para homicidas, assaltantes e integrantes de organizações criminosas da cidade.

O principal alvo da operação é o ex-militar do Exército Brasileiro Pedro Henrique Freire de Santana. De acordo com a Polícia Civil, ele conseguia armas da instituição com colegas de farda que até hoje estão em serviço.


As investigações começaram há quatro meses, após um assalto com reféns em uma casa de Ceilândia, onde a polícia identificou que armas de uso exclusivo do Exército foram utilizadas.

Entre os outros presos estão donos de uma barbearia, distribuidora de bebidas e de uma loja de celulares que, associados ao ex-militar, escondiam as armas e intermediavam as vendas.

A operação deflagrada pela 23ª Delegacia de Polícia (P Sul) conta com apoio de diversas unidades do Departamento de Polícia Circunscricional (DPC) e da Divisão de Operações Especiais (DOE).

A ação foi batizada de Paiol – local de armazenamento de armas.

Os presos vão responder por crimes contra o patrimônio, receptação, revenda e fornecimento ilegal de armamento.

Esta é a segunda grande ação realizada pela Polícia Civil nos últimos meses.

A primeira foi deflagrada em fevereiro pela 5ª Delegacia de Policia (Centro do Plano Piloto). A Operação Delivery, que agiu contra o tráfico de drogas, mobilizou 300 policiais para cumprir 30 mandados de prisão temporária e 35 de busca e apreensão.

 

 

Fonte: *Via Metropole/Clipping

COMENTÁRIOS