compartilhar

TELHADO DO NILSON NELSON: Reforma da cobertura termina na primeira semana de março

Secretaria-Adjunta do Esporte e Lazer investiu R$ 35 mil na recuperação da estrutura

A troca das telhas de fibra por peças feitas de zinco no Ginásio Nilson Nelson está prevista para ser concluída até o fim da primeira semana de março, segundo a Companhia Urbanizadora da Nova Capital do Brasil (Novacap).

O trabalho iniciado em 17 de fevereiro está sendo feito pela empresa pública e estará pronto para os jogos da Superliga Feminina e Masculina de vôlei 2015/2016 em Brasília, que ocorrerão em 3 e 10 de abril.

O prazo para terminar a restauração poderá ser alterado caso as chuvas atrapalhem o serviço.
A troca das telhas está sendo feita porque o ginásio apresentava goteiras.
Ela custou à Secretaria-Adjunta do Esporte e Lazer, da Secretaria de Educação, Esporte e Lazer, R$ 35 mil.

A verba é referente ao custeio do material utilizado pela companhia.

Reforma da cobertura do Nilson Nelson termina na primeira semana de março

 

 

O Ginásio Nilson Nelson é um espaço multiuso que faz parte do Complexo Poliesportivo Ayrton Senna.

 

O equipamento tem capacidade para 12 mil pessoas.

 

No prédio anexo, há seis vestiários, além de quadra de aquecimento, sala de ginástica e de musculação e uma quadra poliesportiva. 


Superliga
O anúncio de que Brasília será sede das finais da Superliga Feminina e Masculina de vôlei 2015/2016 foi feito pela Confederação Brasileira de Voleibol um dia após o início das obras no ginásio.

 

Os duelos estão agendados para 3 e 10 de abril, respectivamente. Esta será a primeira vez que a capital federal receberá os jogos decisivos do torneio. As informações sobre ingressos e pontos de vendas ainda não foram divulgadas.


De acordo com a confederação, a cidade foi escolhida por ter um ginásio que oferece boa estrutura. Outro motivo é a identificação do público local com o esporte. Em 2013, por exemplo, o ginásio ficou lotado nos jogos da seleção brasileira masculina durante a Liga Mundial de Voleibol.


De acordo com a secretária-adjunta do Esporte e Lazer, Leila Barros, o custo para a realização de eventos como esses é mínimo. "O governo de Brasília entra apenas com a cessão do palco das partidas e o translado interno das delegações", destaca. "As demais despesas ficam por conta da organização."


Times


Brasília tem dois representantes na Superliga. Entre as mulheres, o Terracap/Brasília Vôlei está garantido na fase decisiva da competição. Há três anos na principal competição nacional do vôlei feminino, a equipe faz sua a melhor campanha. Classificadas com três rodadas de antecedência, as atletas treinam para o jogo contra o Renata Valinhos/Country no dia 4, às 21h50, em São Paulo. Uma vitória coloca o time na quinta colocação do campeonato.


No masculino, a Upis defende o Distrito Federal na Superliga B, uma espécie de divisão de acesso para a elite. Os rapazes estão nas quartas de final, mas vêm de derrota para o Sesi (SP), por 3 sets a 0. A equipe precisa vencer duas partidas contra os paulistas para avanças às semifinais. O próximo compromisso será às 16 horas de sábado (27), no ginásio da AABB, no Setor de Clubes Sul. Uma derrota elimina a agremiação brasiliense da competição.

 

COMENTÁRIOS