compartilhar

PELA METADE: Transplantes têm queda de quase 50 por cento no Distrito Federal, conforme estatística

O número de doações de órgãos caiu cerca de 49% nos primeiros três meses deste ano, em comparação com o mesmo período de 2017 no Distrito Federal.

O total de transplantes de córnea, fígado e rim passou de 180 no primeiro trimestre do ano passado para pouco mais de 80 em 2018.

A doação que mais apresentou queda foi a de córneas. Neste caso, os transplantes reduziram de 115 no ano passado para apenas 40 neste ano.

As cirurgias de rins e fígado também sofreram baixas. De janeiro a março de 2017, foram feitas 28 e 27 procedimentos, respectivamente. Já neste ano, o número de doações caiu para 13 e 22.

Na contramão dos dados, os transplantes de coração tiveram um leve crescimento: passaram de 10 no primeiro trimestre de 2017 para 13 neste ano.

O Distrito Federal vinha se destacando nos últimos anos no _cenário das cirurgias de doações de órgãos do país. De janeiro a junho de 2017, foram feitos 313 transplantes, a maioria de rim (51) e córnea (160). Nacionalmente, o Distrito Federal apresentou a maior taxa de transplantes por milhão de pessoa no ano passado, seguido pelos estados do Ceará e Paraná.

Transplantes têm queda de quase 50% no DF

Fila Devido à liderança em número de transplantes, o tempo de espera dos pacientes acabou sendo menor por aqui. Nos últimos anos, o tempo médio de espera para um transplante tinha sido reduzido em 65%, passando de 23,4 a 15,4 meses. A secretaria de Saúde não informou se a fila de espera sofreu alteração neste ano devido à redução nos números de doadores.

Em Brasília, os transplantes são feitos no Hospital de Base, no Hospital Universitário de Brasília e no Instituto de Cardiologia do DF (InCor). A Secretaria de Saúde não quis comentar sobre a redução nos casos de doações, e informou que acompanha todos os casos registrados na capital federal.

 

Fonte: *Via Destak/Clipping

COMENTÁRIOS