compartilhar

UNIVERSIDADE DE BRASÍLIA: UnB instala 350 câmeras de segurança ao custo de R$ 1,6 milhão

Equipamentos ficarão em áreas com mais registros policiais. Os quatro campi serão atendidos.

A Universidade de Brasília (UnB) começou nesta terça-feira (24) a instalação de 350 câmeras de segurança nos quatro campi da instituição.

A responsável pelo serviço, a Teltex Solutions, pediu prazo de 60 dias para a conclusão.


A instalação dos equipamentos vai custar R$ 1,6 milhão.

 

O valor inclui o funcionamento por um ano.

Só depois disso é que a universidade e a prestadora do serviço vão negociar um valor para a manutenção, que será pago com a verba de custeio da instituição.


Já a instalação será paga com verbas de investimento repassadas pelo Ministério da Educação, segundo o prefeito do campus da UnB, Valdeci da Silva Reis – de acordo com ele, o repasse não inclui gastos de custeio como contas de luz, manutenção e pagamento de funcionários terceirizados, por exemplo.

Campus Darcy Ribeiro, da Universidade de Brasília, à noite (Foto: UnB Agência/Divulgação)

Os aparelhos foram adquiridos por meio de um pregão da Universidade Federal de Santa Maria (UFSM), chamado ata de registro de preço.

O pregão foi lançado há cinco meses e estabelece que o valor das 350 câmeras de vigilância da UFSM deve ser o mesmo para todos que aderirem à ata, como é o caso da UnB.

 

O valor do serviço é definido pela Teltex Solutions, e a entrada da UnB na ata de registro de preço foi autorizada pela empresa e pela UFSM.


Reis afirmou que o lugar onde os equipamentos serão instalados foi definida depois da compra, por meio de um plano desenvolvido pelo Comitê de Segurança. As câmeras estarão em áreas externas e na entrada dos prédios, de acordo com um estudo desenvolvido pela Secretaria de Segurança Pública que aponta os lugares mais perigosos dos campi Darcy Ribeiro (na Asa Norte), Planaltina, Gama e Ceilândia.

“A gente quer melhorar o sistema de segurança interna, fazer uma fiscalização integrada com os porteiros contratados. As câmeras vão estar nas manchas criminais, onde teve mais ocorrências”, explicou.

Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da UnB à noite (Foto: Luiz Filipe Barcelos/UnB Agência)

O primeiro ponto escolhido foi a Biblioteca Central do campus Darcy Ribeiro, “onde a gente entende que tem maior fluxo de pessoas”, afirma Reis. De acordo com o prefeito, as câmeras captam imagens a 360º nos arredores, mesmo em áreas de visibilidade prejudicada devido às árvores.

 

 

O estudo de manchas criminais tocado pela unidade prevê câmeras na entrada do prédio da reitoria da UnB, ocupada por cerca de 500 estudantes desde 12 de abril.

 

Fonte: *Via G1/Clipping

COMENTÁRIOS