compartilhar

ATENDIMENTO MANUAL: Incêndio em sistema da Secretaria de Saúde gera atraso na recepção

Sem serviço da central responsável por prontuários dos hospitais, servidores precisam preencher fichas de atendimento manualmente. Secretaria tenta restabelecer plataforma.

Um princípio de incêndio atingiu, na noite desta quarta-feira (11), a central do sistema eletrônico que reúne todos os dados de consultas, alergias, exames e histórico médico da rede pública de saúde do Distrito Federal.

Segundo a Secretaria de Saúde, a rede elétrica do Instituto Hospital de Base, que abriga o TrakCare, foi afetada e, por esse motivo, a plataforma não está funcionando.

Até o conserto, a ficha dos pacientes precisa ser feita de forma manual (leia mais no fim da reportagem).

Ao G1, pacientes reclamaram de atraso no Hospital de Base e nos hospitais regionais de Taguatinga e do Paranoá por causa da queda do sistema.


A paciente Sônia Ferreira tinha uma consulta marcada no setor da oncologia do Hospital de Base para as 7h desta quinta-feira (12). Ela contou à reportagem que só conseguiu atendimento por volta das 9h.

 

“Fiz um exame para saber como estava o andamento da quimioterapia, mas não foi possível ver o resultado, porque o sistema não funciona.”

 

No Hospital Regional do Paranoá, muitos usuários de rede pública de saúde que aguardavam atendimento desistiram de esperar. "Estou aguardando há mais de um mês uma consulta com o mastologista. Cheguei às 6h. Às 7h20, disseram que começariam a atender, mas até agora não fui chamada. Muita gente foi embora e não tem ninguém na ouvidora", disse Regina Feijão.

Às 10h20, Regina afirmou ao G1 que a unidade de saúde tinha dispensado os pacientes e cancelado os atendimentos. A Secretaria de Saúde apontou que "que não teve conhecimento de que pacientes foram dispensados por falta do sistema".

 

Tecnologia acionada

 

O princípio de incêndio foi registrado na terça-feira (10), e o reparo ocorreu na quarta (11).

No entanto, quando os equipamentos foram religados, a plataforma Trackare não voltou a operar.

A Secretaria de Saúde informou que a Coordenação Especial de Tecnologia de Informação em Saúde foi acionada para restabelecer o sistema. O Instituto Hospital de Base também enviou técnicos a fim de tentar acelerar o procedimento.


À reportagem, o coordenador Especial de Tecnologia de Informação em Saúde, José Guilherme Ribeiro, disse que desde a madrugada desta quinta-feira (12) tem trabalhado para resolver o problema:

"Após o princípio de incêndio, o Base colocou um gerador para funcionar e programou os reparos dos circuitos danificados. Quando os reparos terminaram, e a energia elétrica foi acionada, houve um pico de luz que atingiu todo o data center da Saúde. Já identificamos o problema e, agora, estamos tentando solucioná-lo."

De acordo com a pasta, a orientação para os servidores é que a ficha dos pacientes seja feita de forma manual até o retorno do sistema.

 

Fonte: *Via G1/Clipping

COMENTÁRIOS