Image and video hosting by TinyPic

 

Image and video hosting by TinyPic

 

compartilhar

FORA DA LEI?: Candidato a distrital, Raad Massouh Jr é preso por porte ilegal de arma

Filho de Raad Massouh, deputado distrital cassado, estava com pistola guardada em mochila dentro do carro. Pai assumiu culpa ao dizer que arma está no nome dele.

O candidato a deputado distrital Raad Júnior (PSDB), de 21 anos, foi preso na noite de segunda-feira (10) em flagrante por porte ilegal de arma de fogo.

Ele e mais três amigos foram parados em uma blitz da Polícia Militar, na DF-345, entre São Gabriel, no Entorno Norte, e Planaltina.

Ao revistarem o carro, os policiais encontraram uma pistola 380 em uma mochila.

Além disso, os militares também apreenderam uma arma de pressão (que não exige registro) e munição.

Armas apreendidas com candidato a distrital e amigos (Foto: Reprodução/TV Globo)

Raad Júnior é filho do deputado distrital cassado Raad Massouh. O pai compareceu à delegacia por volta de meia-noite. Segundo ele, o filho não sabia que a arma estava no carro.

“Foi um erro. Não foi um crime. O que tiver que ser pago, não vamos pagar. Meu porte está vencido, mas a arma é minha. Tem registro e tenho porte, só que a arma está em renovação”, declarou Raad Massouh.

 

“Essa arma é registrada e é minha. Eu que estava usando esse carro. Então ele é inocente e nem sabe o que aconteceu na verdade. Está errado, mas não é um crime.”

 

Segundo o Estatuto do Desarmamento, portar arma de fogo sem autorização prevê pena de dois a quatro anos de reclusão. Como a legislação prevê fiança, Raad Júnior foi liberado após pagar R$ 1 mil. A arma será encaminhada para perícia. O caso está sob investigação da 31ª DP.

Ao sair da delegacia, o candidato se defendeu. “Não cometi nenhum crime. Um dos nossos carros de campanha, a gente sempre anda com… as nossas armas são todas registradas. E a gente estava voltando do nosso dia de descanso, que é a segunda-feira. E a arma é registrada em nome do meu pai. Ele estava em outro veículo, mas foi tudo esclarecido.”

Mandato cassado

 

O mandato de Raad Massouh (PPL) foi cassado em 2013 por suposto desvio de R$ 47 mil da verba parlamentar destinada à realização do 1º Festival Rural Ecológico de Sobradinho, em 2010.

Raad Massouh chega a delegacia para liberar filho (Foto: Reprodução/TV Globo)

A decisão de "expulsá-lo" da Câmara Legislativa ocorreu em votação secreta por 18 votos a favor e 3 contra.

Em março deste ano, ele foi absolvido pela 10ª Vara Criminal da acusação de peculato – desvio de dinheiro público.

 

Fonte: *Via G1/Clipping

COMENTÁRIOS