compartilhar

AUMENTO PELO ARES: Voos internacionais que partem de Brasília crescem 13,5 por cento, este ano

Secretaria de Fazenda do GDF atribui criação de novos trechos a incentivos fiscais propostos para companhias aéreas pelo Executivo local

Em comparação com o 1º semestre de 2017, o número de voos diretos internacionais que partem do Aeroporto Internacional de Brasília cresceu 13,5%.

O índice é da Inframérica, concessionária responsável pela administração do terminal aéreo.

Miami e Orlando, nos Estados Unidos, segundo a empresa, foram novos trechos implementados no periodo.

m comparação com o 1º semestre de 2017, o número de voos diretos internacionais que partem do Aeroporto Internacional de Brasília cresceu 13,5%. Miami e Orlando, nos Estados Unidos, foram os novos trechos implementados. A partir de dezembro, a Gol passa a operar direto para Buenos Aires, capital da Argentina. Até setembro deste ano.

 

Miami e Orlando, nos Estados Unidos, foram novos trechos implementados.

A partir de dezembro, a Gol passa a operar direto para Buenos Aires, capital da Argentina. 

Ainda de acordo com a Inframérica, a partir de dezembro, a Gol passa a operar direto para Buenos Aires, capital da Argentina.

Até setembro deste ano, o Aeroporto de Brasília embarcou mais de 354 mil passageiros internacionais.

O volume aumentou quando comparado aos números do primeiro semestre de 2018 e aos do ano passado:

  • De janeiro a julho: mais de 239 mil pessoas
  • Em 2017: 210,8 mil passageiros

Para a Secretaria de Fazenda do GDF, a diminuição do valor do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) do combustível de aviação foi fator determinante para o incremento de voos.

Ainda de acordo com a Inframérica, a partir de dezembro, a Gol passa a operar direto para Buenos Aires, capital da Argentina.

Até setembro deste ano, o Aeroporto de Brasília embarcou mais de 354 mil passageiros internacionais.

O volume aumentou quando comparado aos números do primeiro semestre de 2018 e aos do ano passado:

  • De janeiro a julho: mais de 239 mil pessoas
  • Em 2017: 210,8 mil passageiros

Para a Secretaria de Fazenda do DF, a diminuição do valor do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) do combustível de aviação foi fator determinante para o incremento de voos.

As regras para benefícios fiscais às companhias aéreas foram estabelecidas por meio de decreto assinado pelo governador Rodrigo Rollemberg e publicado em edição extra do Diário Oficial do DF de 15 de junho.

De acordo com o texto, a empresa aérea terá redução do valor cobrado do ICMS de querosene de aviação à medida que inaugurar novos destinos nacionais e internacionais partindo da capital.

Os porcentuais são:

FREQUÊNCIAS DESCONTO (Querosene de aviação)
Internacional Doméstica
14 ou mais voos internacionais semanais  

 

25 voos diários com interligação nacional

11%
18 ou mais voos internacionais semanais 35 voos diários com interligação nacional 10%
20 ou mais voos internacionais semanais 40 voos diários com interligação nacional 9%
24 ou mais voos internacionais semanais 45 voos diários com interligação nacional 8%
28 ou mais voos internacionais semanais 55 voos diários com interligação nacional 7%

Antes da publicação do decreto, em maio deste ano, foram registrados 52 voos semanais (idas e voltas). Em novembro, 78 voos.

O secretário de Fazenda, Wilson de Paula, acredita que o voo internacional agrega muito valor às conexões e cria um volume de negócios interessante.

“Quando um voo parte do DF para o exterior, há mais conexões até aqui, com mais aeronaves abastecendo. É uma cadeia que a gente está estimulando, com criação de emprego e renda”, resume.

 

COMENTÁRIOS