compartilhar

DESCASO E FALTA DE GESTÃO: Vistoria em UPAs de Brasília aponta escassez de gaze, algodão, monitor cardíaco e médicos

Relatório foi feito a partir de visitas do Ministério Público nas seis unidades. Secretaria de Saúde diz que 'não tolera irregularidades' e colabora com apuração.

Relatório divulgado pelo Ministério Público aponta uma série de irregularidades nas Unidades de Pronto Atendimento (UPAs) do Distrito Federal.

A inspeção constatou improviso na estrutura dos prédios e ausência de materiais básicos, como gaze, algodão e roupa hospitalar.

No documento, consta também o baixo efetivo de profissionais de saúde, principalmente médicos, em todas as seis UPAs em funcionamento em Ceilândia, Núcleo Bandeirante, Recanto das Emas, Samambaia, São Sebastião e Sobradinho.Resultado de imagem para UPA DF LOTADA


Risco a pacientes

 

O documento elaborado pelo MP também aponta danos na estrutura dos prédios, como infiltração, banheiros e ar-condicionados sem manutenção.

Os fiscais encontraram problemas até na vedação da sala de raio-x e falta de aparelhos essenciais para atendimento de urgência e emergência, como monitores cardíacos e de oxigênio.

O relatório será entregue à Secretaria de Saúde.

 

Em nota, a pasta informou que "não tolera irregularidades" e que está colaborando com a apuração feita pelo Ministério Público. Caso novas medidas não sejam tomadas para solução dos problemas, o MP pretende acionar a Justiça.

Operação Diagnose

 

A operação Diagnose, coordenada pelo MP, é resultado de um procedimento administrativo aberto pela Promotoria de Defesa dos Direitos Difusos (Proreg) a partir da denúncia protocolada por um cidadão na ouvidoria do órgão.

Para estimular a participação da população, as equipes vão aos locais com formulários para que os pacientes formalizem as denúncias.

Resultado de imagem para UPA DF LOTADA

 

COMENTÁRIOS