Equipes do Detran de Brasília abordaram 55 motociclistas, que praticavam manobras perigosas; abordagens ocorreram na Esplanada dos Ministérios, no Setor de Clubes e na Via JK

Por volta de meia-noite desta quarta-feira (19), enquanto realizavam blitz da Lei Seca, na altura da Praça dos Três Poderes, os agentes do Departamento de Trânsito do Distrito Federal (Detran) se depararam com um grande grupo de motociclistas que praticava o chamado “rolezinho”.

As equipes de fiscalização acompanharam o grupo e abordaram 55 motociclistas, realizando o teste do etilômetro passivo em todos eles e constatando inúmeras irregularidades de trânsito

Motociclistas foram abordados principalmente na Esplanada dos Ministérios, no Setor de Clubes e na Via JK 

O bafômetro passivo detecta a presença de álcool no ambiente sem a necessidade de sopro do condutor.

Basta aproximar o aparelho do condutor para que o ar existente próximo ao condutor seja avaliado e a presença ou não de álcool seja indicada por luzes coloridas: verde para ausência de álcool, amarela para suspeita de presença e vermelha para presença de álcool.

A ação durou cerca de 30 minutos e contou com 12 viaturas do Detran-DF, um guincho e uma viatura da Polícia Militar do DF (PMDF). Os motociclistas foram abordados principalmente na Esplanada dos Ministérios, no Setor de Clubes e na Via JK.

Entre os motociclistas abordados, três foram autuados por estarem com a moto não licenciada, quatro estavam alcoolizados, três com a Carteira Nacional de Habilitação vencida há mais de 30 dias, quatro não habilitados e um que conduzia motocicleta com habilitação em outra categoria e 20 outros condutores foram autuados por infrações diversas.

Além disso, três motociclistas foram autuados por direção perigosa e quatro foram conduzidos à delegacia por estarem com placas adulteradas, crime previsto no artigo 311-B do Código Penal.

As motocicletas com placas adulteradas permaneceram na Delegacia de Polícia para perícia. Os motociclistas também responderão pelo crime de trânsito previsto nos artigos 308 e 309 do Código de Trânsito Brasileiro.

Quatro motociclistas foram conduzidos à delegacia por estarem com placas adulteradas, crime previsto no artigo 311-B do Código Penal

O ‘rolezinho’ reúne motociclistas fazendo manobras perigosas e barulho em ruas públicas e é combinado nas redes sociais. A maioria dos motociclistas cobre os caracteres das placas com fita com o claro intuito

de cometer irregularidades no trânsito e não serem identificados, como empinar as motos, andar em zigue-zague, conduzir sem as mãos, sem capacete, causar ruído excessivo, além de impedir o tráfego de outros veículos.

As equipes de fiscalização de trânsito do Detran já vinham monitorando o grupo e os locais e horários em que ele costumava transitar.

Ao perceber a presença dos agentes, sete motociclistas evadiram do grupo e escaparam da fiscalização.

“O Detran está atento aos grupos que combinam ‘rolezinhos’ de moto pelas cidades e trabalha para coibir essa prática que compromete a segurança dos próprios motociclistas e dos demais usuários das vias, pela grande quantidade de irregularidades cometidas e o bloqueio do tráfego em alguns casos”, destacou o coordenador de Policiamento e Fiscalização de Trânsito da Região Metropolitana, Anthony Grillo.